como comunicar sinistros

Consulte os nossos conselhos de como comunicar uma ocorrência de um sinistro

1

Participação do sinistro

O sinistro deverá sempre ser participado ao seu Segurador sendo passível de ser regularizado através do Sistema IDS (Indemnização Directa ao Segurado), desde que se encontrem preenchidos os seguintes requisitos:


  • Os intervenientes terem preenchido a Declaração Amigável de Acidente Automóvel e ambos os condutores terem assinado o documento;
  • O sinistro ter ocorrido em território nacional;
  • Estarem apenas envolvidos dois veículos, com Seguro válido, em Seguradores portugueses;
  • Não existam feridos;
  • As Companhias de Seguros, dos intervenientes, serem aderentes da Convenção IDS.
2

Regularização do sinistro

O sinistro poderá ainda ser regularizado, pelo seu Segurador, através da CIDS - Convenção Complementar IDS, se as Companhias de Seguros dos intervenientes forem aderentes a esta Convenção e desde que:


  • O sinistro tenha ocorrido em território nacional;
  • Estejam envolvidos apenas dois veículos;
  • Não tenham existido feridos;
  • Haja correta informação dos elementos necessários, como a data do sinistro, local, matrículas das viaturas intervenientes, descrição sumária do sinistro e não existir DAAA assinada pelos dois intervenientes.
3

Reclamação ao Segurador do condutor

O sinistro e os danos, dele decorrentes, terão de ser reclamados ao Segurador do condutor, considerado responsável pelo acidente, sempre que:


  • Não estejam reunidas as circunstâncias para que o sinistro seja regularizado, no âmbito da Convenção IDS ou no âmbito da Convenção Complementar IDS;
  • Quando o condutor, considerado responsável, não tenha feito participação ao seu Segurador.
4

Como agir nestes casos?

  • Reclame o sinistro ao Segurador do presumível responsável, podendo usar, para tal, a Declaração Amigável de Acidente Automóvel;
  • Para que a sua participação seja aceite, deverá juntar, pelo menos, um dos seguintes elementos de prova:

    • Declaração Amigável de Acidente Automóvel (caso tenha sido preenchida e assinada pelos intervenientes);
    • Auto de Ocorrência, que deverá ser levantado na esquadra que tomou conta da ocorrência (PSP ou GNR);
    • Dados das testemunhas que presenciaram o acidente (nome, morada e telefone);
    • Se a sua viatura ficou danificada poderá indicar, desde logo com o objetivo de ser feita uma peritagem, o nome, morada, telefone e NIF da oficina, onde pretende fazer a avaliação dos danos/reparação.
5

Participação à sua Companhia

O sinistro deve ser participado à sua Companhia e, mesmo tendo sido considerado culpado, poderá solicitar que seja esta a indemnizá-lo pelos danos:


  • Sempre que tenha contratado, no seu Seguro, coberturas de Danos Próprios, que garantam a situação, em concreto, que originou o sinistro;
  • Se pretender acionar a cobertura de Furto ou Roubo deverá anexar a Declaração das Autoridades, onde apresentou a queixa da ocorrência.



Poderá enviar a participação detalhada do sinistro, através das seguintes formas:

6

Participação do sinistro junto do Fundo de Garantia Automóvel

O sinistro deve ser participado e os danos, dele decorrentes, reclamados junto do Fundo de Garantia Automóvel, sempre que:


  • O condutor, responsável pelo sinistro, estiver a conduzir sem Seguro válido;
  • Existam ferimentos e o condutor, do veículo responsável, seja desconhecido;
  • O Segurador, do veículo responsável, esteja insolvente.





Para participar o seu sinistro, deve apresentar elementos de prova, tais como a Declaração Amigável de Acidente Automóvel, Auto de Ocorrência ou testemunhas.


Alternate Text

Telefone & FAX

Das 08:45H às 18:00H (GMT)

Participação clientes: 707 20 41 41
Participação terceiros: 707 22 2002
FAX: (+351) 21 848 81 20

Alternate Text

Morada

Via Directa - Companhia de Seguros, S.A
Apartado 7672
2611-901 Alfragide, Portugal